Como funciona o pedágio?

Pedágio

Praticamente todos os brasileiros, já devem ter se deparado com um pedágio na hora de viajar de carro.

Especialmente em épocas de temporada, os congestionamentos nesses pontos, é quase certeiro.

De acordo com o Detran, o número de multas por evasão de pedágio tem crescido a cada ano.

A justificativa dos inadimplentes, são os altos valores cobrados e a grande quantidade de pedágios numa mesma rodovia.

Por acaso você sabe qual a finalidade dos pedágios? Ou ainda, quais as consequências por não pagar essa cobrança?

No artigo de hoje iremos esclarecer essas e outras dúvidas recorrentes da população brasileira a respeito do pedágio, portanto, se você quer saber mais, continue a leitura no artigo.

Porquê os pedágios existem

Para entender porque os pedágios existem, é preciso, primeiramente entender algumas coisas básicas a respeito das finanças públicas.

É obrigação do Estado, oferecer aos cidadãos serviços básicos como saúde, educação e segurança.

Evidentemente que isso gera gasto aos cofres públicos, assim como a manutenção de estradas para transporte de veículos.

No entanto, por esse serviço não ser considerado fundamental, o Estado privativa a gestão de estradas para as empresas de iniciativa privada, conhecidas como concessionárias.

Assim, as concessionárias passam a ter o dever de manter um parâmetro de serviços definidos em contrato, podendo explorar esse serviço para lucro.

Mas não pense que é tão simples assim, para que as concessionárias participem do projeto, elas precisam arcar com melhorias nas estradas, para que dessa forma, possam colher os pedágios.

As concessionárias também são obrigadas a prestar serviços de segurança para os motoristas, como guincho, primeiros socorros, telefones espalhados nas estradas para ligações de emergência e remoção de objetos ou animais nas estradas.

Como é feita a cobrança do pedágio

A tarifa quilométrica básica é o que define o valor do pedágio que cada concessionária pode cobrar, diante da quilometragem administrada para veículos de passeio.

Existem duas maneiras para a cobrança do pedágio, são elas:

  • Cobrança para veículos de passeio: Onde existe um valor fixo;
  • Cobrança para veículos comerciais: A cobrança é feita conforme o número de eixos do veículo. Portanto, se um ônibus possui três eixos, por exemplo, a cobrança da tarifa é multiplicada por três.

Com relação as motos, algumas rodovias brasileiras cobram 50% do valor do veículo de passeio, enquanto outras isentam a cobrança.

Veículos como carros da policia rodoviária ou autoridade responsável, ambulâncias em atendimento e carros das concessionárias, também são isentos do pagamento do pedágio.

É comum que alguns motoristas acabem se esquecendo de levar o dinheiro para pagar o pedágio.

Algumas concessionárias até emitem boleto para os desavisados, no entanto o procedimento é lento, fazendo com que você perca tempo em sua viagem.

Muitos condutores não sabem que segundo o Código de Trânsito Brasileiro, conforme o artigo 2019, a evasão de pedágio é considerada uma infração grave, punida com multa de R$195,28 e cinco pontos na carteira.

Por isso é importante sempre verificar com antecedência sobre a existência de praças de pedágio no trajeto que você pretende passar, e levar o dinheiro na carteira, já que não é possível fazer o pagamento com cartão.

Uma outra opção aceita por muitas cabines de pedágio, é o Sem parar, que é uma forma de Vale Pedágio, para que você passe pela cabine automática, otimizando tempo na cobrança.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *